Deixe Para Trás

Deus torna as coisas incômodas para nos despertar e nos colocar num lugar com propósito e futuro.

Deixe Para Trás

Achou-o numa terra deserta e num ermo solitário cheio de uivos; cercou-o, instruiu-o, e guardou-o como a menina do seu olho. Como a águia desperta a sua ninhada, move-se sobre os seus filhos, estende as suas asas, toma-os, e os leva sobre as suas asas, Assim só o Senhor o guiou; e não havia com ele deus estranho.” (Dt. 32:11)
Quando penso neste Deus cuidador, preocupado e zeloso com minha vida, me sinto responsável por sair do comodismo ou confinamento e ir em busca daquilo que Ele me reserva. Claro que nem todos tem o mesmo sentimento e provavelmente é por esta razão que as Escrituras nos exortam a um renovo de mente na carta aos Romanos. O Apóstolo Paulo, tendo feito uma dissertação de onze capítulos de forma brilhante, poderosa, teológicamente gloriosa falando sobre Israel, findando o compêndio lança seu apelo, como que dizendo, na verdade isto basta:

“… que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Rm. 12:1-2)

O objetivo de Paulo que escrevia aos irmãos Romanos, crentes - mas que pensavam ainda como Romanos – era de exortá-los a um renovo mental com o intuito de que usufruíssem das bênçãos de Deus.

Certamente você já se deparou com algum irmão que passados alguns anos servindo ao Senhor, continua na mesma condição mental (ou pior) que antes de ter recebido a Cristo. Não é difícil depararmos com este caso, pois sinais visíveis surgem na vida dos tais, como entrar no estagnamento e caminhar para trás. Antes de estagnar fisicamente, profissionalmente e espiritualmente, estagna-se na mente e há um retrocesso em todo progresso obtido até então – não me amam, me cortaram, não me valorizaram e volta-se a hábitos antigos, … começando então a repetir os mesmos fracassos, sem capacidade de experimentar a vontade de Deus pela absorção da orfandade.

O que forma nossa mente é a cultura, educação, ambiente, abuso, religião, lar e o espírito da idade (deste século) e o que destrói o potencial mental do ser humano é o pecado. Foi o que ocorreu no Éden. Porém antes da queda, Adão pensava como Deus e Ele falava com seu espírito e este ordenava a mente e ela não argumentava com Deus, porque era a mente de Deus, como mencionado em I Cor. 2:16 “… Mas nós temos a mente de Cristo.”

São as fortalezas mentais construídas no decurso dos anos que escravizam, aprisionam em condições de miséria espiritual, emocional e material a ponto de fazer esquecer-nos que “… as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus para  demolição de fortalezas;” (II Cor. 10:4) e que precisamos reagir, levantar-nos do lugar fortificado, prisões construídas ao longo do tempo que somatizam mentiras do malígno no interior, escondidas no raciocínio, aguardando autorização para atuar. Portanto, ver a sí mesmo pela lente de quem se era, impede de se ver pela lente de Deus porque a mente conformada está desligada de Deus e enxerga e age a partir de suas verdades, porém a mente renovada enxerga e age a partir da verdade de Deus, que reserva promessas poderosas para esta vida.

Se eu me conformo, me torno escravo daquilo que me conformo e só haverá transformação com sacrifício – morte voluntária ao ego e carne.

“… apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” (Rm. 12:1)

Meu desafio é: apresente a sí mesmo, renove seus padrões mentais e busque um novo ambiente, novas amizades, porque a forma de pensar é resultado do ambiente e coisas novas, estações novas requerem novos ambientes, novas amizades. Não sei se você já parou para pensar, mas grande parte daqueles que Deus escolheu usar, foram removidos dos ambientes:

Moisés: “Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?"

Abraão: “sai da tua terra, da tua parentela.”

Eliseu:Elias disse-lhe: vai, e volta: pois já sabes o que fiz contigo.”

Ruth: “porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus;”

Enfim, a lista é grande!

A mente é o assento do conhecimento e entendimento e também é o potencial da alma.

Concordo que às vezes nos sentimos como Moisés: muito hebreu para ser egípcio e muito egípcio para ser hebreu e não há nada mais frustrante do que tentar ressussitar algo que Deus quer crucificar ou já crucificou.

Quanto mais rápido abandonamos nosso velho homem, mais avançamos para uma nova identidade.

Quando eu era criança, não tive brinquedos nem roupas de griffe. Nosso almoço era normalmente arroz, feijão, aipim ou polenta e carne e o jantar era polenta e leite. Nunca soube o que era um quarto só para mim nem ter um par de calçados do meu número, que somente eu usasse.

Deus pega as coisas desconexas de nossa vida para construir nosso futuro!

Deus está querendo nos conduzir de fé em fé e de glória em glória - Confirmados pelo Senhor são os passos do homem em cujo caminho ele se deleita; ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor lhe segura a mão.” (Sl. 37:23) e se fugirmos do fogo, estamos fugindo de nosso destino. Não podemos fugir de quem éramos, mas trazer uma mente escrava para uma nova vida é não viver o novo e não construir uma nova identidade.

Se amaldiçoamos o lugar pelo qual Ele nos conduz, não vamos alcançar o lugar para onde Ele está nos levando!

Moisés só foi capaz de livrar os hebreus do Egito porque ele próprio saiu de lá e este é nosso exemplo, não ignorando quem éramos mas buscando a renovação andando na verdade de Deus. Então descobriremos que bom é ser formado na universidade do fogo, com diploma em sobrevivência e especialização em milagres. Veremos que toda catividade leva à um propósito quando submetida à Luz.

As complicações da vida podem revelar um grande destino e carregamos em nós nosso futuro em forma de semente. A Bíblia diz que Moisés cuidava de ovelhas no deserto, e ele sai dali e conduz pessoas pelo deserto, isto é poderoso!

Não ignore o dia das pequenas coisas. Não anule-se devido a seus limites, mas busque em Deus forças para vencer a escravidão mental e com uma mente renovada conquistar aquilo que já lhe foi disponibilizado por intermédio de Cristo Jesus nosso Senhor.

Vânia Rorato