Eu Não Consigo Mais

Eu só queria alguém que me escutasse sem julgamentos e me dissesse eu te entendo!

Eu Não Consigo Mais

“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que possais ser curados.” Tg. 5:18a 
 
A cada semana que passa ouço mais e mais pessoas dizendo ‘Eu não consigo mais!’ Outras, sem hesitar confessam ‘Eu queria dar um fim nisto tudo’.

Eu já fui vítima de depressão e síndrome de pânico mas quando enfrentei isto, os casos ainda eram isolados e a Igreja por sua vez tinha isto como uma questão unicamente espiritual. Em minha busca por cura aprendi que não somos somente seres espirituais habitando num corpo, mas um ser integrado onde espírito, alma e corpo são codependentes e interagem um com o outro. Compreendi que nosso espírito nasceu de novo em Cristo, mas a alma ainda precisa ter a salvação desenvolvida, sendo a responsável por assimilar e transmitir os dados coletados pelos sentidos espirituais e naturais a todo corpo.
 
Como ser trino, preservamos nosso espírito de enfermidades ao alimentá-lo através da Palavra e relacionamento com Deus; preservamos nosso corpo físico através da alimentação correta e exercícios físicos e quanto a alma, a preservamos de enfermidades quando, no uso de filtros tanto naturais quanto espirituais, selecionamos somente o saudável para habitar nela.
 
A depressão, além dos sintomas já impostos como fadiga, ansiedade, insônia, isolamento, falta de apetite ou o oposto e descaso com o corpo, tem como maior problema o julgamento moral que é feito dela - seja genética, química, traumática, neurológica ou espiritual. Então o monstro da culpa é um sentimento presente na vida destas pessoas e são elas que mais se cobram por estarem assim.
 
A depressão nunca chega dizendo ‘Oi, estou aqui!’ Ela tem seus processos. Como cristãos, temos a tendência de revestir tudo de espiritualidade. O depressivo pode sim ter demônios, assim como o não depressivo também. Entendo que de uma forma óbvia, o depressivo ao escolher fugir, isolar-se ou desistir, está propenso a atrair aliados que o auxiliarão neste processo de decadência, bem como o alimentar-se de desânimo, não dormir ou entrar num casulo trará enfermidades ao corpo.
 
É interessante como nossa ‘espiritualidade’ tem facilidade de descartar aqueles que não atingem nossos padrões de conduta cristã.
Quando eu fui a vítima, encontrei forças na fraqueza e consegui sair sozinha porque temia descobrirem meu ‘pecado’. Após tantos anos se passarem, vejo com clareza os processos desta enfermidade que começa com uma decepção acompanhada de frustração, então chega a depressão carregada de dias cinzentos e se encarrega de apresentar um quadro colorido, onde a morte é o acesso.
 
Ah... Como eu queria ter tido em meus dias cinzentos alguém que apenas me ouvisse, que não me chamasse de fraca e não me dissesse que  precisava de mais fé em Deus. A maior culpa do depressivo cristão é que ele sabe que Deus é a resposta, só que perdeu-se no caminho e não encontra forças para regressar, necessitando de alguém que o ouça e o ajude nesta jornada.

Hoje, boa parte de meu tempo dedico a estas pessoas que como eu cuidaram do espírito, do corpo, mas não da alma e que após golpes, já atemorizada, não mais conseguia separar a verdade do engano, oriundo do medo da frustração.
Há um Provérbio Português, que consegue expressar a letargia da pessoa depressiva – ‘Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.’ 
 
Se você está sofrendo de depressão, busque alguém que o ouça e o ame sem julgamentos. Alguém que ore por você e o auxilie a sair desta condição. Você não consegue correr porque não tem mais forças, mas ficar neste estado só o levará a um vale mais profundo ainda de dor e angústia.
 
“Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó, ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como uma planta.” Jó 14:7-9


Vânia Rorato